NEWSLETTER
Cadastre-se para receber as novidades deste portal diretamente no seu e-mail!
X

Adaptação escolar: Seu filho ainda não se adaptou à escola?

Publicado em 21/02/2018 10:45
Categoria: Educação
Adaptação escolar: Seu filho ainda não se adaptou à escola?

A adaptação escolar é sempre uma questão tensa, e são inúmeras as dicas para driblar os problemas em torno do primeiro dia de aula. Mas, a fase inicial já passou e seu filho ainda não se acostumou: o que fazer? “Geralmente, após duas semanas de aula, a criança está adaptada, mas existem muitos fatores que influenciam o tamanho desse período”, comenta a pedagoga Rosemeire Guesso Mendonça (SP). Discussões com outros alunos, cansaço, estranhamento – tudo pode ser um motivo. A observação deve ser diária, e a família e escola devem atuar juntas para diminuir o estresse da criança.

 

É senso comum entre os especialistas que cada um tem um ritmo diferente na hora da adaptação. Idade e a relação que a criança costuma manter com as pessoas também são importantes. Para se acostumar a um novo ambiente, um aluno pequeno pode levar de uma semana a meses. Não há padrão.

 

Quando o problema vem de casa

Crianças com dificuldades na adaptação são, muitas vezes, reflexo de pais que se sentem inseguros. “Mais de 50% das razões que explicam as dificuldades dos alunos podem ser encontradas nos pais", afirma Rosemeire. Silvana Leporace, diretora pedagógica do colégio Dante Alighieri (SP), também alerta para a relação dos pais com a escola. “Eles precisam estar muito seguros da escolha que fizeram. Confiam na escola? Se sim, devem acreditar no trabalho que os educadores estão fazendo.” Conversar com o filho, lembrá-lo dos amigos novos, das atividades legais, das brincadeiras, pode ser de grande ajuda na hora da recusa. Por outro lado, os pais também podem buscar mais atenção. A escola pode usar algo para tranquilizá-los e compartilhar mais sobre o cotidiano da escola, mostrando fotos ou diários.

 

É sempre bom lembrar que acontecimentos extremos como morte, nascimento de um irmão, separação dos pais, troca de babá, dentre outros, também podem afetar o grau de dependência das crianças dos pais.

 

Outro ponto importante é que a criança tenha rotina e horários. Isso evita que ela se estresse nessa nova fase porque está cansada ou irritada em acordar cedo, por exemplo.

 

Ele estava adaptado, mas agora regrediu

A regressão no comportamento de crianças já adaptadas também acontece, afirma Silvana. “Há aqueles que adoram a escola nas primeiras semanas, se comportam bem, brincam, mas depois de um certo tempo começam a chorar, não querem mais ir à escola.”

 

Quando a aula cai na rotina, muitos alunos acabam entediados e perdem o encanto pela escola. Nesses casos o processo de adaptação escolhido pelos profissionais responsáveis deve ser refeito, desde o começo. “A atenção dada a esses alunos é redobrada”, mas é preciso paciência e confiança no trabalho da instituição escolhida, encerra Rosimeire.

 

Atitudes mais acolhedoras dos professores e assistentes trazem conforto à criança. Passar menos tempo na escola e ir aumentando o período de aula gradativamente também ajuda a aliviar esse estresse. Em alguns casos, o pai chega até a ficar na escola por um período como fazia na adaptação, discretamente, o que ajuda, além de tudo, a controlar a ansiedade dos adultos também. Deixar a criança levar um objeto pessoal para a classe é uma boa alternativa para criar esse laço de intimidade.

 

Fonte: Revista Crescer. 

Escola Espaço da Criança - Todos os direitos reservados